Erro de Sylvinho foi previsto e criticado por... Sylvinho!

Andrew Sousa

25 anos, formado em Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

ver detalhes

Erro de Sylvinho foi previsto e criticado por... Sylvinho!

Coluna do Andrew Sousa

Opinião de Andrew Sousa

8.5 mil visualizações 62 comentários Comunicar erro

Erro de Sylvinho foi previsto e criticado por... Sylvinho!

Treinador apostou em uma estratégia que ele mesmo questionou

Foto: Danilo Fernandes/ Meu Timão

Depois do jogo contra o Internacional, fiz uma coluna ressaltando a mensagem que o campo deu para Sylvinho: Du Queiroz merecia espaço e Gabriel não era uma boa opção para o momento.

Diante da Chapecoense, porém, o técnico resolveu ignorar parte do recado e escalou a dupla. De imediato, todos reprovaram o teste, visto que os catarinenses obviamente viriam para se defender e o Corinthians teria a posse de bola por praticamente 90 minutos.

O erro é notório e fica pior ainda por ter sido apontado há mais de um mês pelo próprio Sylvinho.

No dia 27 de setembro, o treinador concedeu entrevista ao Terceiro Tempo, da Rede Bandeirantes, para falar sobre o Dérbi. Em alta após vencer o clássico por 2 a 1, com boa partida de Cantillo, sua principal surpresa na escalação, Sylvinho bateu na tecla da modernidade.

"O Brasil ele tem uma característica que o primeiro volante é um atleta de força física e defensiva simplesmente. Mas o futebol tem evoluído, eu sei que isso é no Brasil", disse - veja vídeo abaixo.

A fala serviu como defesa para o comandante, que admitiu ter lido muitas críticas antes da escalação sair justamente pela escalação do colombiano como primeiro homem de meio de campo.

E é aí que vem o problema. Diante da Chapecoense, Gabriel foi o titular na posição e, em entrevista coletiva depois da partida, o treinador ressaltou que a entrada do camisa 5 tinha como objetivo liberar os jogadores de frente, já que ele é um atleta de marcação.

Escalar um atleta com essas características não era um atraso do futebol brasileiro?

Contradizer sua própria tese seria preocupante em qualquer cenário, mas fica ainda mais questionável neste que aconteceu: em duelo contra o lanterna, o time abriu mão de um nome que propõe jogo. E isso tudo apenas para se proteger - de um ataque inexistente do outro lado, diga-se.

A coisa piora novamente por conta da entrevista de um mês atrás.

"É um atleta de muita qualidade técnica. Ele faz o time jogar. Nós tínhamos a convicção plena e montamos um time para ganhar na Neo Química Arena", completou Sylvinho.

Nesse trecho fica ainda mais claro que Sylvinho sabe o peso de ter um primeiro homem com qualidade na saída para dominar o jogo e vencer. Por que armar um time pra ganhar do Palmeiras e esbanjar cautela contra a Chapecoense, diante de 40 mil torcedores? Onde está a convicção?

Para encarar o Fortaleza, a estratégia defensiva até se justificaria, mas Gabriel não tem se provado o melhor nome para isso. Além do momento ruim na marcação, o atleta dificulta demais o jogo da equipe, obrigando nomes como Giuliano e o próprio Du a jogarem muito atrás para iniciar jogadas.

Veja mais em: Sylvinho.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Andrew Sousa

Por Andrew Sousa

25 anos, formado em Jornalismo na Univali e fiel desde o primeiro de seus dias.

O que você achou do post do Andrew Sousa?

x