Nem tudo foi perfeito no gol de Paulinho em Itu, o primeiro dele na volta ao Corinthians

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Nem tudo foi perfeito no gol de Paulinho em Itu, o primeiro dele na volta ao Corinthians

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

6.0 mil visualizações 101 comentários Comunicar erro

Nem tudo foi perfeito no gol de Paulinho em Itu, o primeiro dele na volta ao Corinthians

Paulinho comemorou o gol e tirou a camisa; emoção do volante fez com que o patrocinador que paga seu salário não aparecesse nas imagens

Foto: Danilo Fernandes/ Meu Timão

Acho que desde o gol de Renato Augusto contra o Ceará eu não fica tão feliz ao ver um gol do Corinthians. Estar em Itu e ver Paulinho subir de cabeça, girar o pescoço, mirar o canto do goleiro e a bola estufar a rede foi algo pra lá de emocionante. A imagem do gol do Vasco em 2012, com o mesmo movimento de corpo, veio a minha mente no mesmo momento. Gol da virada. Gol da vitória. Tudo perfeito!

Nesta segunda, de cabeça mais fria, a razão mostra a mim que nem tudo foi perfeito. O gesto de tirar a camisa na comemoração do gol deveria ter sido evitado por Paulinho. Sim, na hora é difícil ter frieza e pensar em coisas além do gol. E da emoção. Eu sei.

Hoje, porém, o assunto precisa ser levantado e não refutarei a fazer isso. Ao tirar a camisa, no momento de maior exposição dos patrocinadores em que todos os cliques são feitos e as imagens da TV focam no jogador, o parceiro que paga seu salário não estava lá para ser mostrado.

Afinal, é com o dinheiro da Taunsa que foi possível repatriar Paulinho, um sonho enorme do torcedor do Corinthians. E, naquele momento, a logomarca da empresa não estava sendo filmada nem fotografada - veja imagem que ilustra a coluna.

Repito: o jogador não pensa nessas coisas no momento, compreendo isso e respeito. Mas trazer à tona esse fato no dia seguinte, talvez, ajude de alguma maneira a lembrá-lo. Que Paulinho siga firme, já com seus 35 gols pelo Corinthians e chegando a 36, 37, 40, 50, 60...

Em tempo: Paulinho tentou fazer o mesmo contra o Vasco, a camisa não saiu do corpo e a logomarca da época, que foi um patrocinador pontual do Corinthians para aquele jogo contra o Vasco, foi eternizada na história. Para sempre. Veja essa foto abaixo:

Patrocinador pontual para aquele duelo das quartas de final da Libertadores 2012 foi eternizado nas imagens com Paulinho, que tentou tirar a camisa na comemoração mas não conseguiu

Patrocinador pontual para aquele duelo das quartas de final da Libertadores 2012 foi eternizado nas imagens com Paulinho, que tentou tirar a camisa na comemoração mas não conseguiu

Reprodução/Internet

Veja mais em: Paulinho e Ações de marketing.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?

x