Campeonato Paulista de 1983

Titulos conquistados pelo Corinthians - Campeonato Paulista de 1983
Elenco campeão do Campeonato Paulista 1983

O Campeonato Paulista de 1983 foi marcante por configurar o bicampeonato do Corinthians — que estava há 30 anos sem realizar este feito. Além disso, este ano também foi marcado por outro fator: a despedida de Sócrates, o meio-campista que era reconhecido pelas notáveis jogadas armadas, os passes de calcanhar, pelo posicionamento político e por ser um dos precursores da Democracia Corintiana. 

Fase de Grupos

Com o movimento democrático no auge e com grandes jogadores no elenco como Casagrande, Zenon, Wladimir, Eduardo, Biro-Biro, e o próprio Sócrates, o time do Parque São Jorge protagonizou um bom desempenho na primeira fase do campeonato. Já na segunda fase, esteve no grupo com Santos, Ponte Preta e São Bento de Sorocaba, onde garantiu três vitórias e três empates.

Semifinal

Assim, a equipe comandada por Jorge Vieira avançou para a semifinal, que seria disputada contra o Palmeiras. Esta fase do campeonato também foi considerada histórica, visto que foi a primeira vez que os quatro maiores clubes paulistas (Corinthians, São Paulo, Santos e Palmeiras) se enfrentaram no formato de mata-mata. No jogo da ida, o Corinthians perdia até os 31 minutos do segundo tempo, quando Sócrates igualou o placar. Já no jogo da volta, o Doutor Sócrates, como era conhecido por conta da formação em medicina, confirmou sua autoridade em campo e fez o gol da vitória logo na etapa inicial. 

Final

Como um déjà-vu do ano anterior, o Timão enfrentou o São Paulo na final, que até então tinha a melhor campanha da competição. No primeiro jogo, em 11 de dezembro, o Corinthians saiu com a vantagem por 1 a 0, gol marcado por Sócrates, aos 33 minutos do primeiro tempo. Por fim, aos 46 minutos da etapa complementar do segundo jogo, que aconteceu dia 14, Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira marcou o tento da vitória e aquele que seria seu último gol no Campeonato Paulista com a camisa alvinegra. Logo na sequência, o São Paulo empatou, mas de nada valia, já que com a vantagem do jogo de ida o Corinthians já era sagrado bicampeão. 

“ Lembro-me que essa final foi muito equilibrada. O São Paulo tinha um time mais forte que o nosso, mas mesmo assim conseguimos superá-los. No último minuto, o Zenon fez uma bela jogada e tocou de calcanhar para eu fazer o gol. Todos já esperavam o final do jogo, quando eles empataram. Toda decisão é muito marcante. Qualquer jogador sempre sonha em fazer um gol numa decisão e no último minuto. Comigo não foi diferente. Foi uma grande emoção.”, disse Sócrates.

 

Quem foi o melhor jogador desse campeonato?

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

x