Democracia Corinthiana

Democracia Corinthiana
A união dos jogadores era o ponto forte da Democracia Corinthiana
Foto: Reprodução/Corinthians

Em meio à ditadura militar, iniciou-se no Corinthians o período denominado de Democracia Corinthiana. O movimento, que durou de 1982 até 1984, foi encabeçado por jogadores consagrados, como Sócrates, Wladimir, Casagrande, Biro-Biro, Zé Maria e Zenon.

Conquistas do movimento

Apesar de ter durado apenas dois anos, a iniciativa provocou mudanças estruturais importantes no clube. Assim, todos os funcionários tinham o mesmo peso em seus votos e opiniões. Desde as contratações, local de concentração e escalações, até as regras internas eram democraticamente decididas.

Depois de uma campanha ruim em 1981, o primeiro ano da autogestão ajudou a recuperar a situação do time em campo. O treinador Mário Travaglini viu seus comandados chegarem até as semifinais do Campeonato Brasileiro e faturarem o Campeonato Paulista.

Emenda Dante de Oliveira

A luta não parou por aí. Não bastava que a democracia reinasse apenas dentro do Parque São Jorge. O próximo passo era colocar um ponto final na repressão vivida em todo o país. Com isso, os integrantes do movimento participaram do comício pelas Diretas Já e reivindicaram a aprovação da Emenda Constitucional Dante de Oliveira.

A emenda propunha, entre outras coisas, que as eleições presidenciais fossem realizadas por voto direto em novembro de 1984, algo que não acontecia desde 1960. Em um de seus discursos, inclusive, Sócrates declarou que, caso a emenda fosse aprovada, ele ficaria no Timão. No entanto, seu plano foi frustrado e o ídolo alvinegro foi para a Fiorentina, da Itália.

Ídolos da Democracia Corinthiana

O fim

Depois disso, a Democracia Corinthiana foi se desfazendo. Casagrande também se despediu do clube e foi para o rival São Paulo. Em 1985, o então presidente Waldemar Pires tentou lançar Adilson Monteiro Alves como seu sucessor, mas foi derrotado na eleição. Quase 40 anos depois, Duilio Monteiro Alves, filho de Adilson, se tornaria presidente do Corinthians.

A derrota de Alves colocaria a pá final no movimento. Ele foi uma figura fundamental para a implantação das ideias, até então, revolucionárias. O diretor de futebol costumava se reunir com os jogadores mais politizados. Logo, ficou convencido de que as opiniões dos atletas e demais colaboradores da equipe deveriam ser ouvidas pela diretoria.

Adilson Monteiro Alves foi diretor na época da Democracia Corinthiana

Apoiadores importantes

O movimento ganhou a simpatia de outras pessoas influentes. Os principais exemplos são a cantora Rita Lee, o jornalista Juca Kfouri, além dos publicitários Boni e Washington Olivetto. O último, aliás, assumiu o marketing corinthiano e dispensou receber salário por isso. Foi ele quem nomeou a iniciativa como Democracia Corinthiana.

Rita Lee foi uma apoiadora da Democracia Corinthiana

Comentários

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de David

    Ranking: 90º

    David 8232 comentários

    @huracan em

    O Corinthians como clube de maior torcida do Brasil deveria novamente promover uma campanha para "aprimorar a democracia no brasil", mudança de leis, código penal, maioridade penal "14 anos" e voto facultativo já.
    quem concorda da um soco pra cima (vamos melhorar nosso país)

  • Foto do perfil de Renato

    Ranking: 330º

    Renato 3570 comentários

    @1977semprefiel em

    Meu orgulho, alguns os pais estavam mas EU ESTAVA lá e torci muito com esta DEMOCRACIA e sinto falta de mentes intelectuais iguais Sócrates e Wladimir, duvido se fosse hoje se eles não iam protestar contra o ladrão de medalhas que se apossou da CBF, contra esta maratona cruel de jogos INÚTEIS. Guardo com muito orgulho e muito bem guardado camisas autografadas por toda democracia e muitas fotos com todos eles, com o Biro Biro cheguei a ir a uma igreja evangélica com ele, gente sem igual.

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Rodrigo

    Ranking: 702º

    Rodrigo 2082 comentários

    29º. @vamo.meu.povo em

    Fico muito incomodado quando assunto delicados são colocados a frente para esconder certas realidades, ex. Bolsa família usado no marketing como ajuda humanitária mas no fundo mesmo são votos de cabresto, ninguém preocupado de verdade com os pobres, aja vista, nível escolar, saúde...coisa realmente importante para o futuro dessas pessoas.
    A democracia corinthiana tem muito disso, jogadores excelentes e que ganharam poucos títulos para o clube, e porque? Falta de compromisso, sem treino, baladas...etc usaram um tema para benefícios próprios e não do clube, casa grande por exemplo, saiu para o rival, será mesmo que ele estava preocupado com o Corinthians?
    Sinceramente, não vejo nada em que se orgulhar nesse movimento, dou mais valor no profissional trabalhador do que no talentoso, vide CR7 x Neymar, primeiro um exemplo de atleta o outro sem comentários.

  • Publicidade

  • Foto do perfil de Alexandre

    Ranking: 23º

    Alexandre 23227 comentários

    28º. @alexandre.sccp1 em

    Momento histórico do CORINTHIANS

  • Foto do perfil de Pedro

    Pedro 4 comentários

    27º. @pedro.galdeano em

    O que aconteceu com o nosso Corinthians de Dr Sócrates? Com arena superfaturada, com Andrés no poder se aliando a rede Globo e lavando a mão de quem nasceu pra reivindicar, a organizada. A essência se perdeu, hoje é tudo nojento. Brasil, onde tem povão tem gente querendo lucrar em cima. E o Corinthians sempre foi o povo, agora só é lucro. O reflexo na arquibancada do nosso time de coração é visível Talvez a organizada se vendeu pra não ser exterminada, os direitos negados como as bandeiras e faixas retiradas do estádio podem ser um alerta, talvez se perdeu no caminho com ganância e corrupção
    não sei. O envolvimento com o atual presidente Andrés também pode evidenciar a corrupção. De qualquer forma o que ainda funciona é a Democracia pois os outros direitos reinvidicados foram todos nos tirados tendo se perdido com a corrupção.

  • Foto do perfil de Otacilio

    Ranking: 11275º

    Otacilio 114 comentários

    26º. @ticopt em

    Estava estudando no instituto Cajamar e sempre ia aos jogos do Timão. Foi um período de muitas alegrias e de muito orgulho, pois o Timão foi o único time brasileiro que lutou verdadeiramente pela democratização do Brasil. Por isso ser Corinthians, não é apenas ser um torcedor. Mas é fazer parte de uma clube revolucionário.

  • Foto do perfil de Otacilio

    Ranking: 11275º

    Otacilio 114 comentários

    25º. @ticopt em

    Eu tive a sorte de viver de perto a democracia corintiana, como torcedor e como ativista social.

  • Foto do perfil de Ferreira

    Ranking: 494º

    Ferreira 2686 comentários

    24º. @ferreira.silva em

    Esses kras eram fda heimmm

  • Foto do perfil de Cleidson

    Ranking: 16º

    Cleidson 27542 comentários

    23º. @cleidson em

    Grande DR

  • Foto do perfil de Paulo Sergio

    Paulo 1 comentário

    22º. @paulo.sergio.tricame em

    Por altrura do Mundial assisti uma reportagem sobre o Corinthians na TV diriguida por Cantona.Se já tinha o maior respeito por Socrates ao tomar conhecimento do movimento "democracia Corinthiana" tudo ficou maior ainda.Nao sou brasileiro.Sou de Mocambique e meu clube la também e popular e se destaca por sua representacao social.Me ajude a comprar uma camisete com alusão a esse período da democracia Corinthiana.

x