O que atrapalha Cássio é invisível aos olhos do torcedor do Corinthians 

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

O que atrapalha Cássio é invisível aos olhos do torcedor do Corinthians 

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

71 mil visualizações 584 comentários Comunicar erro

Cássio lamenta não ter defendido a bola que resultou no placar adverso

Cássio estirado no chão e a cabeça baixa e encostada no braço lamentando não ter defendido a bola que resultou no placar adverso

Reprodução/Internet

Cássio estirado no chão e a cabeça baixa e encostada no braço direito. Essa cena ocorreu duas vezes nos últimos três jogos do Corinthians, diante de Red Bull Bragantino (primeiro gol) e, no último sábado, Sport.

Dois gols que o camisa 12 do Corinthians tomou e sabia que os chutes eram defensáveis. Dois lances que fizeram boa parte da torcida questionar a titularidade do ídolo e até a importância de uma renovação contratual que já é conversada nos bastidores.

Mas o que acontece com Cássio? Por que essas bolas defensáveis se transformaram em falhas? Bem, na minha visão há um fator que o atrapalha no Corinthians em 2021 e é invisível aos olhos do torcedor. Trata-se da ausência de uma sombra no dia a dia.

Após a saída de Walter, que assinou com o Cuiabá, Cássio parece não ter mais medo de perder a titularidade. Uma zona de conforto que costuma fazer o ser humano (qualquer um) perder a concentração, o ímpeto e o foco. Um prato cheio para gols como aquele na Arena Pernambuco.

Mas e os demais goleiros do elenco? Essa, claro, é a pergunta que o torcedor do Corinthians se faz diante desse fator que, na minha visão, vem levando Cássio a cometer os erros. A resposta, na verdade, são quatro itens. A seguir:

  • Donelli é promissor, mas ainda bastante jovem e tem pouca experiência;
  • Caíque França já sabe que não renovará contrato e, a partir de dezembro, não será mais opção;
  • Guilherme Castellani vinha atuando na equipe sub-23 e uma chance no profissional seria uma incógnita;
  • Carlos Miguel chegou há pouco tempo e ainda tem que desenvolver a parte técnica, que está abaixo dos demais.

É com esse cenário que Cássio reina absoluto no gol do Corinthians em 2021. A pergunta que fica é: Marcelo Carpes e Luiz Fernando dos Santos, preparadores dos goleiros no CT Joaquim Grava, conseguirão cobrar um jogador tão grande na história do clube?

Marcelo Carpes e Luiz Fernando dos Santos, preparadores dos goleiros no CT Joaquim Grava, com Cássio

Marcelo Carpes e Luiz Fernando dos Santos, preparadores dos goleiros no CT Joaquim Grava, com Cássio

Rodrigo Coca / Agência Corinthians

Veja mais em: Cássio.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?

x