Alex troca de cargo a cada 144 dias no Corinthians

Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie. Desde janeiro de 2020, estagiário do Meu Timão. Estou também diariamente na Rádio Mackenzie.

ver detalhes

Alex troca de cargo a cada 144 dias no Corinthians

Coluna do Luis Fabiani

Opinião de Luis Fabiani

6.8 mil visualizações 46 comentários Comunicar erro

Alex troca de cargo a cada 144 dias no Corinthians

Alex chega ao seu terceiro cargo no Corinthians

Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Vítor Pereira chegou ao Corinthians como uma proposta de ruptura à cultura adotada pelo clube nas últimas buscas por treinador. Um dos direitos assegurados ao treinador, ao menos em teoria, seria a montagem de sua própria comissão técnica com profissionais de sua própria confiança, sincronizando os processos adotados no CT Joaquim Grava.

Flávio de Oliveira, preparador físico, foi demitido. Fernando Lázaro, após a boa amostragem profissional, se manteve no cargo de auxiliar. Alex, homem de confiança da alta cúpula do futebol alvinegro, foi realocado a um cargo de transição com jogadores da base focado na equipe profissional.

Chama atenção que o cargo assumido por Alex é o terceiro diferente nos 14 meses desde que retornou ao clube como ex-jogador. Primeiramente, uma passagem de cinco meses como coordenador técnico das categorias de base. A experiência foi interrompida após participar de contratações contestáveis e de uma divergência com Jaça, conselheiro influente no clube, em uma mensagem de áudio vazada.

A expectativa de uma saída do clube é prontamente refutada. Alex, em junho de 2021, se tornou auxiliar técnico de Sylvinho, um cargo totalmente incompatível com aqueles que exerceu nos meses anteriores.

Alex pode, sim, ter estudado bastante e se tornado um profissional capaz de exercer funções totalmente distintas em um clube. A outra opção, para este colunista a mais provável, indicaria um receio do Corinthians em demitir um profissional por gratidão às glórias que este teve no passado.

Outro fator que me gera estranhamento está justamente no cargo assumido por Alex. Há mesmo a necessidade de um profissional encarregado tão e somente do processo de transição da base ao profissional? Diálogos periódicos entre André Figueiredo, gerente da base, e Alessandro, gerente do profissional, me parecem capazes de dar conta.

O colunista pode ser conspiracionista e este texto um grande devaneio. Opiniões e análises à parte, há um fato: Alex troca de cargo a cada 144 dias no Corinthians.

Veja mais em: Diretoria do Corinthians e Ex-jogadores do Corinthians.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Luis Fabiani

Por Luis Fabiani

Estudante de Jornalismo no Mackenzie e entusiasta das categorias de base do Corinthians. Desde 2020, estagiário do Meu Timão.

O que você achou do post do Luis Fabiani?

x